Chuva volta a castigar Zona da Mata e Região Central de Minas Gerais

08/01/2012 14:06

 

Voltou a chover forte, na madrugada deste domingo (8), em Minas Gerais. A cidade de Itabirito, na Região Central do estado, mais uma vez ficou debaixo d’água. De acordo com prefeitura do município, houve alagamento no bairro São Geraldo, local que já havia sofrido com a enchente na semana passada.

Com a estiagem de cinco dias na cidade, muitos moradores haviam voltado para suas casas. Neste domingo, eles foram novamente removidos dos imóveis e encaminhados para um abrigo no município.

A cidade história de Ouro Preto, na Região Central, também voltou a enfrentar transtornos provocados pela chuva. De acordo com a Defesa Civil municipal, a precipitação foi de 98 milímetros durante a noite e madrugada deste domingo.

Até as 9h30, dois deslizamentos haviam sido registrados no município, um deles no Centro. Ainda de acordo com a Defesa Civil da cidade, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil realizará, neste domingo, um sobrevoo em Ouro Preto, com a participação de integrantes da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam) e do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).
 

Em Ponte Nova, na Zona da Mata, há mais de 15 horas a chuva não dá trégua. Segundo a prefeitura, não houve alagamentos durante a madrugada, mas o Rio Piranga deixa a população em alerta. A previsão é que o nível volte a subir na tarde deste domingo. Moradores das áreas ribeirinhas já foram alertados sobre a situação.

Outra cidade da Zona da Mata que sofre as consequências da chuva é Ubá. De acordo com a Defesa Civil, a chuva forte que caiu na noite deste sábado (7) fez o nível do rio que corta o município subir cerca de três metros em 30 minutos.

Diversos bairros de Ubá ficaram alagados, vários deslizamentos foram registrados e ruas tiveram que ser interditadas. A Defesa Civil estima que 400 pessoas estejam desalojadas na cidade. Neste domingo, chove pouco, mas autoridades e população estão em alerta.

Situação de emergência
De acordo com boletim divulgado pela Defesa Civil na manhã deste domingo (8), 103 cidades já decretaram situação de emergência, desde o início do período chuvoso, em Minas. As últimas cidades que passaram a integrar o balanço do órgão são: Canaã e Jequeri, na Região da Zona da Mata, e Baldim e Itaguara, na Região Central.

De acordo com a Defesa Civil, 12 pessoas já morreram no estado desde o começo do período de chuvas, em outubro. Os novos casos confirmados foram registrados em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, em Guaraciaba, na Zona da Mata, e em União de Minas, no Triângulo Mineiro.

Em Governador Valadares, um casal foi encontrado morto após um desabamento, nesta sexta (6). De acordo com o Corpo de Bombeiros, eles foram soterrados, após a casa deles desabar.
Em Guaraciaba, um homem de 23 anos tentou atravessar uma rua inundada, e foi arrastado pelo Rio Piranga, que havia transbordado. Quando o corpo foi encontrado, os chinelos estavam nas mãos, o que, para a Defesa Civil, era um sinal de que ele tentou vencer as águas.

Em União de Minas, o corpo de um homem de 24 anos foi encontrado às margens do Rio Arantes, a cerca de quatro quilômetros do local de onde desapareceu. Segundo a Defesa Civil, relatos oficiais na cidade disseram que ele tentava atravessar o rio a cavalo, mas foi surpreendido pela força da água.

Segundo o órgão, duas pessoas estão desaparecidas: uma em Santo Antônio do Rio Abaixo e outra em União de Minas. No total, 157 municípios foram atingidos pelas tempestades durante o período, afetando mais de 2,1 milhões de pessoas. Destas, 11.939 pessoas estão desalojadas e outras 906 estão desabrigadas. Até esta sexta-feira (6), 128 casas e 101 pontes foram destruídas.