Complica situação de Dirceu, Delúbio e José Genoíno

05/10/2012 08:07
 
Compartilhar

Os ministros Luiz Fux e Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, condenaram ontem o ex-ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, José Dirceu, e o ex-presidente nacional do PT, José Genoino, por crime de corrupção ativa no processo do mensalão em julgamento. Momentos antes, a ministra havia culpabilizado o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, atingindo o núcleo político do esquema.

 

A ministra argumentou que não pode haver corrupto sem corruptor. Já o ministro declarou não crer na atuação isolada de tesoureiro. Fux disse que os fatos comprovaram que Delúbio entregou dinheiro em espécie para o representante do PP, João Cláudio Genú, e o do PTB, Emerson Palmieri, no período de 2003 a 2004.


Com o voto de Fux, somam-se três pela condenação de Dirceu e Genoino, e quatro pela culpabilidade de Delúbio por crime de corrupção ativa. O voto do ministro foi o último da sessão de ontem no Supremo. O julgamento do mensalão continua na próxima terça-feira. “Concluí que o primeiro réu (José Dirceu) é responsável pelo crime de corrupção ativa”, disse Fux. O ministro citou os encontros de Dirceu com o empresário Marcos Valério e os diretores de bancos que participaram do esquema, todos já condenados no julgamento do Supremo. Fux afirmou também que vantagens obtidas por Maria Angela Saragoça, ex-mulher de Dirceu, na venda de um apartamento em São Paulo, é mais uma prova da participação do ex-ministro no esquema.


Fux considerou que Genoino emitia cheques e que, portanto, “tinha conhecimento de tudo que estava ocorrendo em relação à receita e às despesas” no partido. Ao se referir a Dirceu, Rosa Weber disse que “existe prova acima de qualquer dúvida razoável” que Delúbio não poderia ser responsabilizado sozinho pelo esquema de compra de votos.


Além dos encontros de Dirceu com Valério, a ministra citou as vantagens obtidas por Maria Angela Saragoça e a viagem de Valério a Portugal para negociar com empresários a captação de recursos que seriam para o PT. A ministra considerou que não havia forma de excluir Genoino de responsabilidades no esquema. (das agências de notícias)