Mané Garrincha sofre com goteiras na cobertura

23/12/2013 19:32
 

 Inaugurado há sete meses, o estádio Mané Garricha demonstra falhas em sua estrutura. O local foi sede da final do Torneio Internacional de Futebol Feminino, neste domingo, apesar de contar com um grande número de goteiras na cobertura.

"Tem barraco que tem cobertura melhor que essa aqui. Olha só, acabou de inaugurar e a gente só vê goteira por todos os lados", questionou um estudante no local, segundo o Uol.

Para amenizar a situação, funcionários usavam rodos: "O pior é que não tem nenhum ralo, nem aqui no anel inferior e nem no anel superior da arquibancada, aí a gente tem que tirar essa água toda com pano e balde."

"Aí vamos empurrando tudo lá para baixo e chega lá, fica empoçado, não tem caimento até o campo", explicou.

Segundo a Secopa-DF (Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo no Distrito Federal) será pedido um laudo técnico para a empresa responsável pela cobertura que custou R$ 209 milhões ao governo do Distrito Federal.

"No momento, por ser o estádio uma obra recém-inaugurada, grandiosa e complexa, alguns serviços pontuais estão sendo corrigidos e testados, mas nada que comprometa o pleno funcionamento do estádio e a realização dos eventos", justificou ainda a assessoria de imprensa.