A guerra por um assento



A dança das cadeiras dá Fórmula 1 está perto do fim. Oficialmente, duas vagas ainda estão disponíveis para o grid do ano que vem, Williams e HRT oferecem um assento cada. Contudo, a quantidade de pilotos que buscam um lugar no Mundial-2012 é muito maior. Os brasileiros Rubens Barrichello e Bruno Senna, o alemão Adrian Sutil, o espanhol Jaime Alguersuari e o russo Vitaly Petrov são alguns dos nomes mais fortes na disputa.

O posto mais cobiçado no momento é o da Williams. Também é nesse cenário que se insere os nomes dos pilotos brasileiros. Apesar de boatos já terem ventilado o nome de Sutil na equipe de Groove, nada foi confirmado e hoje, quem polariza a briga é Rubinho e Senna.

Em busca de dinheiro

Atrás de patrocínio, o brasileiro está fazendo uma peregrinação pelas grandes empresas brasileiras, mas até agora o quadro de Rubinho pouco evoluiu e só o que pode lhe garantir na temporada 2012 são os resultados e seu desempenho durante os últimos anos na Williams. Recordista de maior número de corridas disputadas, o brasileiro está na Fórmula 1 desde 1993 e busca sua 20º temporada na categoria.

Rival de Rubens, Senna viu seu nome ganhar força nas últimas semanas. Bruno é patrocinado pelo magnata brasileiro Eike Batista, que já havia bancado o brasileiro na Renault-Lotus, na temporada 2011.

Sexta-feira, o empresário mais rico do Brasil utilizou sua conta no Twitter e garantiu a ida do sobrinho de Ayrton Senna para a Williams. "Simples, ele vai correr pela Williams!", escreveu em resposta a uma pergunta sobre o futuro do piloto brasileiro.

Bruno Senna também se manifestou, o piloto fez uso do Facebook para afirmar que ainda continua com o futuro incerto e procura de uma chance na F1. "Apesar de alguns rumores, a minha situação permanece a mesma de antes, ou seja, ainda não estou confirmado em nenhuma equipe e continuo batalhando por uma vaga na Fórmula 1".

Antes apontado como favorito e agora correndo por fora, Adrian Sutil é uma das esperanças alemãs da era pós Schumacher. O piloto está na F1 desde 2007, quando estreou pela extinta Spyker, atual Force India, onde, com muitos patrocínios e com resultados inconstantes, permaneceu sendo o principal piloto do time indiano. Apesar de fora do grid, Sutil continua com patrocinadores.

Fundão

Pior equipe da categoria, a HRT também busca um piloto - desde que esse tenha muito dinheiro - para confirmar sua dupla de pilotos. Com o incansável veterano espanhol Pedro de La Rosa já garantido, o time ibérico deve anunciar nas próximas semanas o conterrâneo Jaime Alguersuari, ex-Toro Rosso, como seu segundo piloto.