10 feitos para Messi entrar na história do futebol mundial

10 feitos para Messi entrar na história do futebol mundial

Lionel Messi saiu driblando tudo e todos para entrar no rol dos maiores jogadores de todos os tempos. Uma arrancada tão precoce quanto genial. Aos 24 anos, o argentino já é comparado a Maradona e Pelé. Resultado de um caminhão de títulos, uma média absurda de gols e atuações assombrosas. O POVO aproveitou tudo isso e projetou aquilo que ele ainda pode fazer, mostrando que um novo reinado no futebol está sim sendo construído.


 

 

Se mantiver o nível (e nada parece dizer o contrário) Messi deve quebrar recordes impressionantes e conquistar uma quantidade de competições pouco imaginadas para um único atleta profissional. Com uma média de 31 gols por ano, o argentino pode atingir, se jogar mais dez anos, quase 600 tentos na carreira. E isso atuando num futebol altamente competitivo.


 

Atualmente, Messi já tem 27 títulos pelo Barcelona e 46 prêmios individuais. Com o retrospecto atual, o cálculo é que ele pode dobrar esses números, incluindo aí dados como virar o maior artilheiro do clube catalão, da Champions League e até mesmo da seleção argentina (o artilheiro é Batistuta, com 56 gols; Messi marcou 22 vezes).


 

Copa do Mundo


 

Por falar em seleção, a grande pedra na chuteira de Messi é a Copa. Para muitos, enquanto não vencer um Mundial o camisa 10 não poderá ser comparado aos mitos Pelé e Maradona. Dúvida que ele tentará acabar justamente no Brasil, em 2014. O que na projeção de O POVO não seria absurdo algum. Confira os dez momentos que podem tornar Messi o maior da história.

 

Números de Messi


 

Gols na carreira: 250 (22 pela Argentina e 228 pelo Barcelona)

 

Titulos: 29 (27 pelo Barcelona e 2 pela Argentina)

 

Prêmios individuais: 46 (entre eles o de melhor do mundo por três temporadas consecutivas)


 

Recordes: Primeiro jogador a marcar cinco vezes numa mesma partidas de Champions League; segundo maior artilheiro da história do Barcelona; sexto maior goleador da Champions League em todos os tempos; atleta que mais balançou as redes numa única temporada pelo Barcelona; Único a marcar pelo menos um gol e dar um passe decisivo em seis competições diferentes em uma mesma temporada.


 

Curiosidades: Há dez anos, Messi media somente 1,11m. Hoje, tem 1,69m; tornou-se o mais jovem artilheiro do Barcelona, aos 17 anos e 310 dias; com a mesma idade do argentino, nem mesmo Maradona e Pelé ganharam tantos títulos importantes e prêmios.


 

Pontos fracos: ainda não ter vencido competições como profissional pela Argentina e nunca ter atuado em seu país - foi para a Espanha com apenas 13 anos de idade.

 

 

2014 - Torna-se o maior artilheiro da história da Champions League (com 71 gols marcados) e quebra seu próprio recorde de tentos numa mesma temporada.


 

2018 - Consegue com o Barcelona um feito que parecia impossível: iguala os 9 títulos de Champions do Real Madrid, o maior ganhador de todos os tempos.


 

2012 - Depois de ganhar tudo na temporada, é eleito o melhor do mundo pela quarta vez seguida. Feito nunca antes atingido por outro jogador de futebol.


 

2015 - No ano seguinte, ganha pela sétima vez o Espanhol e conquista sua sexta Champions League. É o artilheiro também pela sexta vez do torneio.


 

2020 - Pelos registros na Argentina e na Espanha, Messi aparece como o nome mais vezes usado para batizar crianças. No Brasil perde apenas para João.


 

2013 - Recebe proposta para jogar no Real Madrid. Clube promete R$ 400 milhões pelo argentino, que vira o atleta mais caro da história. Porém, ele nega o convite.


 

2015 - Chega a 450 gols na carreira, mantendo média absurda por ano (31). Se contar só o auge de Messi, a média sobe para 41, o que projeta mais de 700 gols na carreira.


 

2021 - Volta a jogar em seu país. Opta pelo Rosário Central, time da sua cidade. E leva a tímida equipe ao título argentino e à final da Libertadores do ano.


 

2014 - Na próxima Copa do Mundo, é campeão pela Argentina, em pleno Maracanã, fazendo uma final inédita contra o Brasil. Faz três gols na decisão e cala os críticos.


 

2016 - Leva, pela segunda vez, o ouro olímpico (ganhou em 2008). Dessa vez, justo no Rio de Janeiro. É o artilheiro do torneio com incríveis 13 gols marcados.