Artilheiro do Bota no ano, Herrera pode ganhar vaga

Artilheiro do Bota no ano, Herrera pode ganhar vaga

O atacante Herrera, estrela principal do Botafogo na goleada contra o São Paulo, neste domingo, na estreia das equipes no Campeonato Brasileiro, no Engenhão, é o artilheiro do Glorioso na temporada com 14 gols, dois a mais que Loco Abreu que tem 12. O argentino jogou 26 partidas e Loco 18. O técnico Oswaldo de Oliveira, que já deixou Abreu no banco de reservas na partida diante do Guarani, pela Copa do Brasil, não descartou lançar o camisa 17 como titular no lugar do capitão Abreu.

- Reconheço que o momento é mais do Herrera, mas tudo depende da sequência do trabalho. É um cara que não nos abandonou. Temos que saber reconhecer isso. O comportamento dele é irreparável. Já disse que ambos têm características bem diferentes, e eu posso usá-las sempre que preciso. É cedo, vamos ver na sequência - disse.

Abreu tem mais gols marcados pelo time, são 63 em 106 jogos, média de 0,6 por partida. Já Herrera soma 50 em 124 jogos, com média de 0,4 por partida.

O Botafogo volta a campo no próximo domingo, contra o Coritiba, no Couto Pereira, às 16h.

COM A PALAVRA  Álvaro Oliveira Filho - Colunista do LANCE!

No domingo o Herrera entrou e marcou três gols na vitória contra o São Paulo. Agora muitas pessoas querem o argentino no lugar do Abreu. Seria esta uma solução para o ataque do Botafogo?

Às vezes acontece de o jogador estar em uma tarde boa e fazer o que ele fez no domingo. É bom ter o Herrera no grupo, é importante e pode ajudar, mas ele saiu da equipe por não estar bem, porém não vai resolver. Se colocar o Herrera e daqui a cinco jogos ele não fizer gols a torcida vai pedir a entrada do Abreu em seu lugar. Então tem que contratar um atacante. O Abreu é um jogador muito específico, se ele não fizer gols ele joga mal. Então tem que se reforçar.

Você acredita que um dos problemas do Botafogo seja o isolamento do Abreu com a opção tática do Oswaldo de Oliveira?

Não acredito que seja um problema de escalação. O jogadores do meio-campo do Botafogo sabem jogar, a começar pelos volantes, Renato e Marcelo Mattos. Os meias, independente de quem o Oswaldo escale chegam na frente e não deixam o centroavante isolado. A falta de gols é uma questão dos atacantes.