Banhistas dividem espaço com pombos e esgoto

Banhistas dividem espaço com pombos e esgoto

A alta estação já se reflete no movimento da Praia do Futuro. Turistas lotam as barracas e aproveitam um dos cartões-postais mais famosos da capital cearense. Para a surpresa de alguns, os pombos, que já podiam ser encontrados em anos anteriores, aumentaram e procuram lugar entre os banhistas.

“Isso acontece por conta dos restos de comida, do esgoto.

 

Sobras de caranguejo ficam acumuladas entre as barracas”, assinala a vendedora ambulante Janaína Linhares Duarte, 25 anos. Já para Olga Rodrigues de Castro, 45, os últimos dois meses foram marcados pelo aparecimento de mais pombos. “Eles gostam de ficar no teto das barracas”, relata.


Suposições à parte, é preciso ter atenção com a proliferação das aves. Pombos utilizam como abrigo locais altos, usam grãos e sementes na alimentação e equilibram o aparecimento de insetos. Entretanto, também podem transmitir fungos, bactérias e causar alergias nos humanos.


Esgoto


Outro problema já característico da Praia do Futuro é a presença de bueiros entupidos e tubulações jogando detritos direto na areia. A maior incidência é no período chuvoso, mas alguns focos já estão sendo observados por moradores. Ao lado da barraca Vira Verão, um esgoto provoca desconforto. “Agora está controlado. Esse aí já fez vários ‘aniversários’. A questão, além da chuva, é quando o mar avançar e inundar tudo. Fica horrível”, diz Antônio Araújo de Souza, 57.


Em outro ponto da praia, nas proximidades da barraca Gran Royal, os bueiros e canos de esgoto incomodam quem passa. No início da semana, foi realizada a desobstrução. “Todo mundo reclamou; incomoda demais”, relata o guardador de carros Francisco de Oliveira Sabino, 33.


Segundo a assessoria de imprensa da Cagece, Fortaleza é uma das poucas capitais do Brasil que tem sua orla praticamente toda coberta por rede de esgoto. “O que acontece algumas vezes é a obstrução devido ao lixo jogado pelas pessoas”, informa a assessoria.


De acordo com a Cagece, a quadra chuvosa e o aumento de líquidos nas tubulações também podem provocar congestionamento da rede. Parte das barracas da Praia do Futuro não tem ligação com a rede de esgoto.

FONTE: O Povo On-Line