Dia de reparar os estragos causados pela chuva

Dia de reparar os estragos causados pela chuva

A chuva registrada na Capital ontem pela manhã, mesmo aquém dos 268,5 milímetros de terça-feira, ficou entre as maiores do Estado, com 93,8 mm no posto de coleta da Defesa Civil. O tempo nublado inviabilizou o único desejo de Heloísa Soares, moradora do Conjunto São Miguel, na divisa entre Fortaleza e Caucaia. Ela esperava aproveitar o sol para secar o colchão, as roupas e os móveis encharcados pela água que entrou na casa com a chuva de terça-feira.


 

 

Heloísa faz parte do grupo daqueles em que a chuva não atrapalhou somente o percurso para o trabalho ou a secagem das roupas do varal. “Teve gente aqui que perdeu tudo. A água deu foi na cintura, não passava carro na rua. A gente tá é contente que não perdeu mais coisa e que a casa não caiu”, comentou. Ela mora às margens do rio Maranguapinho. Para atravessar o rio, uma balsa improvisada colocava em risco a vida dos moradores.


 

Ontem também foi dia de reparos na rua Pio Saraiva, no Quintino Cunha, onde uma cratera se abriu no trecho em que um canal transbordou. Segundo a Defesa Civil, na noite de terça, mais de 15 famílias dormiram em um espaço cedido por uma igreja que fica em frente ao canal. Muitas só esperavam o nível da água baixar para retornar às casas. Funcionários da Defesa Civil continuavam no local para refazer o trecho danificado, indicando que a encosta receberia um reforço.


 

Ocorrências


 

Ontem, até as 17 horas, a Defesa Civil havia registrado 49 ocorrências em 34 bairros da cidade, sendo 19 alagamentos, 16 riscos de desabamentos e outros oito de inundação. A Regional VI foi a que registrou mais casos, com 18 ocorrências em bairros como Aerolândia, Barroso, Cidade dos Funcionários, Conjunto Palmeiras, Jangurussu, Jardim das Oliveiras, Sapiranga e São Cristóvão.


 

Segundo a Autarquia Municipal de Trânsito (AMC), pelo menos 13 semáforos apresentaram defeitos ontem. Os trechos necessitaram de agentes para executar o controle do tráfego. Por meio do Twitter, muitos foram os motoristas que reclamaram de pontos de engarrafamento intenso, pista tomada pela água e pequenos acidentes. As avenidas João Pessoa, Engenheiro Santana Júnior, Raul Barbosa e Coronel Miguel Dias foram alguns dos locais citados.