Emprego na indústria tem a maior queda desde 2009

Emprego na indústria tem a maior queda desde 2009

O emprego na indústria amargou seu terceiro ano seguido de queda, informou nesta terça-feira, 10, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que anunciou o resultado da Pesquisa Mensal da Indústria - Emprego e Salário (Pimes). Em 2014, o pessoal ocupado assalariado recuou 3,2% em relação ao ano anterior. 

O resultado sucede quedas de 1,1% em 2013 e de 1,4% em 2012. Além disso, o desempenho do ano passado foi o pior desde 2009, quando o emprego diminuiu 5,0% no total da indústria brasileira.

A indústria paulista, por sua vez, viu seu contingente de trabalhadores encolher 4,3% em 2014 ante 2013. O ritmo de demissões em São Paulo superou a média nacional no período. Ao todo, 13 dos 14 locais pesquisados pelo órgão registraram redução no pessoal ocupado em 2014, segundo o IBGE.

Além de São Paulo, que obteve o maior impacto negativo no total da indústria, também tiveram reduções intensas Rio Grande do Sul (-4,2%), Paraná (-4,2%), Minas Gerais (-2,8%), Região Nordeste (-2,1%), Rio de Janeiro (-2,8%) e Região Norte e Centro-Oeste (-1,7%). Por outro lado, a única influência positiva veio de Pernambuco, ainda que pequena: a alta foi de apenas 0,1%.

Setorialmente, 16 dos 18 ramos pesquisados pelo IBGE reduziram o número de trabalhadores em 2014. As contribuições negativas mais relevantes vieram de produtos de metal (-7,3%), meios de transporte (-5,4%), máquinas e equipamentos (-5,5%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-7,2%), calçados e couro (-8,0%), vestuário (-3,4%), outros produtos da indústria de transformação (-4,5%), produtos têxteis (-4,4%), refino de petróleo e produção de álcool (-7,5%) e metalurgia básica (-4,1%).