Etanol do Brasil terá maior acesso aos EUA em janeiro de 2012

Etanol do Brasil terá maior acesso aos EUA em janeiro de 2012

O mercado norte-americano estará aberto para os produtores brasileiros de etanol a partir de janeiro, de acordo com nota divulgada ontem pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). Termina no próximo dia 31 a vigência da legislação nos Estados Unidos que instituiu subsídios para os produtores locais e criou uma tarifa de US$ 0,54 sobre cada galão (3,78 litros) importado de etanol, inviabilizando o produto brasileiro no mercado norte-americano com preços competitivos.

 

Na nota, o presidente da Unica, Marcos Jank, diz que o fim da barreira tarifária abre caminho para as diferentes matérias-primas utilizadas na produção de combustíveis eficientes. O que conta, segundo ele, é o baixo custo ambiental para produzir energia renovável e a cana oferece essa possibilidade mais do que qualquer outro produto.


Jank salienta, inclusive, que o etanol de cana produzido no Brasil é reconhecido até mesmo pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos como o melhor combustível do mundo em termos de redução de emissões de gases causadores de efeito estufa.


O presidente da Unica lembra que o fim dos subsídios norte-americanos vem em um momento de transição para o setor sucroenergético brasileiro, que se esforça para incentivar um novo ciclo de crescimento do setor no País e atender à demanda por seus produtos, aqui e lá fora.


A prioridade, segundo ele, continua sendo o atendimento do abastecimento interno. Mas, acredita que com o fim da tarifa norte-americana é possível visualizar a consolidação do etanol como commodity, como acontece com o açúcar.


Os Estados Unidos são o maior produtor mundial de etanol, que no país é produzido à base de milho, enquanto no Brasil, segundo maior, o etanol é obtido da cana-de-açúcar. Os dois países respondem por mais de 80% do etanol mundial.(das agências de notícias)