Furacão Sandy ameaça até 60 milhões de pessoas nos EUA

Furacão Sandy ameaça até 60 milhões de pessoas nos EUA

O furacão Sandy aumentou ontem à tarde a velocidade de deslocamento para 44 quilômetros por hora, com ventos sustentados de 150 km/h e rajadas mais fortes quando estava menos de 200 km a sudeste de Atlantic City, no Estado de Nova Jersey, e a 255 km de Nova York. O Centro Nacional de Furacões (CNF) emitiu boletim extraordinário às 19 horas do horário de verão em Brasília, indicando que o olho do Sandy se dirigia para o Sudeste de Nova Jersey.


 

 

Cerca de 300 mil residências de Nova York ficaram sem eletricidade. Autoridades advertiram para riscos sem precedentes e determinaram a remoção de milhares de moradores ao longo da faixa costeira que vai da região da Nova Inglaterra à Carolina do Norte.


 

Enquanto isso, mais de sete mil voos de aviões procedentes de Nova York foram suspeitos, assim como cancelados itinerários aéreos de vários países da América Latina, Europa e Ásia. Os meteorologistas previam que o Sandy fosse capaz de afetar entre 50 e 60 milhões de pessoas em uma das regiões mais populosas do País.


 

Sandy é o 11º furacão desta temporada no Atlântico, que começou em 1º de junho e termina no dia 30 de novembro.


 

O presidente Barack Obama deixou de lado a candidatura eleitoral para retomar o de governante, consciente da necessidade de passar a imagem de um líder firme no comando dos EUA, no momento em que parte do país está ameaçada pelo Sandy. Após uma reunião com o comitê de crise da Casa Branca, o presidente exortou os moradores das regiões potencialmente ameaçadas a seguirem sem demora as instruções das autoridades locais para que deixem suas casas.


 

“A prioridade é tentar salvar vidas”, disse Obama, que havia embarcado na Flórida apressadamente na manhã de ontem, onde planejava um comício para as eleições presidenciais de 6 de novembro. O furacão obrigou Obama e o seu adversário do Partido Republicano, Mitt Romney, a cancelarem vários eventos de campanha, a uma semana dias das eleições. (das agências)