OAB quer intermediar canal de negociação

OAB quer intermediar canal de negociação

A insatisfação gerada pelo corte orçamentário do Poder Judiciário, anunciado pelo Governo do Estado, tem levado a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – Secção Ceará) a se movimentar na tentativa de evitar uma greve. A assembleia geral dos servidores, que pode deflagrar o movimento paredista, está marcada para o dia 13 deste mês. A OAB elaborou agenda de visitas a sindicatos, ao Tribunal de Justiça e à Procuradoria Geral de Justiça na tentativa de fazer uma mediação.


As reuniões têm o objetivo de permitir “que todos os operadores de justiça cheguem juntos a um denominador comum sem que haja paralisação”. De acordo com o presidente da OAB, Valdetário Monteiro, desde o dia 23 de dezembro, quando saiu a informação do corte orçamentário, a Ordem vem aprofundando estudo analisando todos os números da proposta do Governo, onde os recursos foram cortados, por que foram cortados e para onde foi o dinheiro.


Com o estudo em mãos, a OAB vai discutir com os operadores do sistema de Justiça a suplementação orçamentária de 2012 para o Poder Judiciário. No próximo dia 17, a Ordem se reunirá com o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Arísio Lopes da Costa, às 14 horas. Em seguida, às 17 horas, com o Procurador Geral do Estado, Fernando Oliveira. “No último dia 2, eu me reuni com o Oliveira e ele adiantou que há possibilidade de suplementação orçamentária. Vamos decidir como será, quanto e como”, disse.


Mediação

Na última quinta-feira, 5, a OAB se reuniu com o presidente da Federação dos Sindicatos de Oficiais de Justiça do Brasil, João Batista Fernandes, e com o presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça, Mário Xavier, para abrir canal de negociação e evitar paralisação dos servidores do Poder Judiciário. “Nós, advogados, precisamos do Poder Judiciário funcionando e funcionando bem. É importante que a OAB faça essa mediação”.