Oscar Niemeyer é sepultado no Rio ao som de Cidade Maravilhosa

Oscar Niemeyer é sepultado no Rio ao som de Cidade Maravilhosa

O arquiteto Oscar Niemeyer foi enterrado por volta das 17h50min de verão de ontem, no Cemitério São João Batista, na capital fluminense. O velório, no Palácio da Cidade, sede oficial da Prefeitura do Rio de Janeiro, ficou aberto ao público das 8 até pouco antes das 16 horas locais. Também no palácio houve um culto ecumênico em homenagem ao arquiteto.


 

 

O caixão foi levado ao cemitério, em Botafogo, mesmo bairro onde fica o palácio, num carro aberto do Corpo de Bombeiros com batedores da Guarda Municipal. O arquiteto era patrono da Banda de Ipanema, tradicional bloco carioca de Carnaval, e foi homenageado pelo grupo com a canção Cidade maravilhosa, de André Filho, hino municipal do Rio.


 

Na quinta-feira, o corpo do arquiteto foi levado a Brasília para uma câmara ardente no Palácio do Planalto. Cerca de quatro mil pessoas passaram pelo funeral, aberto ao público após cerimônia fechada para políticos e autoridades.


 

O velório e o transporte do corpo e dos familiares foram oferecidos pela presidente Dilma Rousseff. O corpo de Niemeyer foi recebido com palmas e gritos do público que aguardava o início da câmara ardente, na praça dos Três Poderes.


 

105 anos

O arquiteto carioca, que completaria 105 anos no próximo dia 15 , deu entrada no hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, em 2 de novembro, a princípio para tratar de uma desidratação, em sua terceira internação no ano.

 

Mais tarde, porém, Niemeyer apresentou hemorragia digestiva e houve piora em sua função renal. Na terça-feira, uma infecção respiratória levou a uma piora no estado clínico de Niemeyer. Na manhã de quarta, o arquiteto sofreu uma parada cardiorrespiratória e faleceu com os parentes ao lado. (das agências de notícias)

 

Quem


 

ENTENDA A NOTÍCIA


 

Um dos arquitetos mais celebrados do mundo, Oscar Niemeyer morreu na quarta-feira,perto de completar 105 anos de idade. Nacionalista e comunista, deixa um legado importante de obras, dentre elas Brasília.

 

Saiba mais


 

Lerner: “Conciliava poesia e arquitetura”

O arquiteto e urbanista Jaime Lerner (e) compareceu ao velório no Rio. Ele elogiou a capacidade de conciliar poesia e arquitetura sempre demonstrada por Niemeyer.
 

 

"Eu vi pessoas chorando na inauguração do museu em Curitiba emocionadas com aquela obra. É uma perda para a humanidade, mas que deixa um legado extraordinário." Lerner disse ainda que Niemeyer estava driblando sua chegada à eternidade.

 

Fidel Castro manda coroa de flores

O líder cubano Fidel Castro mandou uma coroa de flores ao velório de Oscar Niemeyer, realizado no Palácio da Cidade, zona sul do Rio. A homenagem foi entregue por intermédio da intelectual brasileira Marília Guimarães. Antes, o presidente de Cuba, Raúl Castro, irmão de Fidel, já havia mandado mensagens de condolências para os parentes de Niemeyer e para presidente Dilma Rousseff. Niemyer era comunista.
 

 

Mujica faz discurso emocionado

Em discurso emocionado durante a Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Brasília, o presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, fez ontem homenagem ao arquiteto Oscar Niemeyer, ao lembrar de quando era jovem e conheceu o "gênio da arquitetura". “Junto ao gênio da arte, havia um homem que se manteve firme, vivendo (em combate contra) ditaduras e os disparates que se sucederam”, disse Mujica.