Paredões, mela-mela, fantasia e azaração

Paredões, mela-mela, fantasia e azaração

Beberibe - O primeiro dia dos paredões de som ao lado da Marina, na Praia do Morro Branco, em Beberibe, atraiu uma verdadeira multidão, na maioria jovens da faixa-etária até os 25 anos. Desde as 14 horas, começou a chegar gente. Por volta das 16, não cabia mais praticamente ninguém. Para se ter uma ideia da frequência, a estrada que liga Beberibe à praia ficou totalmente congestionada nesse horário. Muitos motoristas, na pressa de chegar ao seu destino, de forma imprudente, utilizaram o acostamento do outro lado da pista, em manobras perigosas.

Dezenas de paredões tocavam os mais diferentes ritmos musicais. As ruas adjacentes ao corredor estabelecido pela Prefeitura para a concentração dos paredões estavam também tomadas. Com um barulho ensurdecedor, comunicar-se por ali só através de gestos.

Um dos paredões mais animados era o "Caminhão malvado", que tinha um camarote no alto com cerca de trinta pessoas. "Era o que estava faltando em Beberibe. Com as bandas que foram chamadas para tocar aqui, vem gente de todos os locais. Não sei se vai caber todo mundo", diz o estudante Paulo Roberto Souza Barros. "Há cinco anos não vinha para o Morro Branco. A festa está só começando e já inicia desse jeito. Imagina isso aqui no domingo e na segunda-feira", completa.

Apesar da "balbúrdia", enquanto a reportagem esteve no local, não registrou um só incidente. Pelo menos 15 homens da Polícia Militar (PM) observavam de perto a movimentação.

Também na tarde deste sábado, teve início o Carnaval Cultural de Beberibe. Ao contrário dos paredões, os desfiles são organizados e ocorrem por todo o Centro da Cidade. O primeiro a sair foi o Bloco Imperial. Adolescentes, crianças, adultos e idosos brincaram juntos, entoando marchinhas antigas. À proporção em que o desfile avançava, havia a adesão dos moradores.

A secretária de Turismo de Beberibe, Diana Queiroz, que participou de todo o desfile, ressaltou que o propósito da administração era "oferecer uma festa para todos os gostos. Tem espaço para as bandas na praça, a tradição nas ruas e os paredões que têm hora para iniciar (15 horas) e para se encerrar (20 horas). Quem não respeitar o horário, terá o equipamento apreendido", garante Diana.

Azaração

O sábado foi de azaração na Praia de Coqueiros, em Luís Correia, a partir do meio-dia, quando brincantes do Crocodilo Beach invadiram a praia com beleza e juventude. A estudante Ana Clara era só charme para se bronzear ao caudaloso sol piauiense "Viemos à praia esquentar para a noite do bloco. Tem muita gente bonita", conta. Era grande a espera por Aviões do Forró, que abriu o Carnaval na cidade na noite de ontem.

Luís Correia é destino de milhares de turistas, em boa parte cearenses, que movimentam a região do Delta do Parnaíba no período. Uma novidade da festa, neste ano, é a Ação Crocodilo Solidário, realizada ontem, que consistiu na troca de cortesias para o evento (doadas a patrocinadores) por quilos de alimentos não perecíveis, que foram destinados a seis instituições beneficentes do Estado do Piauí.