Preço da gasolina pode aumentar em Fortaleza mesmo com isenção de impostos

Preço da gasolina pode aumentar em Fortaleza mesmo com isenção de impostos

Apesar de o governo ter reduzido a zero a cobrança do imposto Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) sobre a gasolina, o combustível poderá aumentar de preço nos postos de Fortaleza.

O preço é livre. O governo não controla o preço nem da Petrobras. O mercado é livre”, defendeu o assessor de Economia do Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Ceará (Sindipostos), Antônio José Costa.

Segundo ele, cada posto é livre para reajustar os valores e cabe aos consumidores pesquisar. “É igual ao pão, à cerveja, ao arroz. Cada posto faz seu preço, é a livre concorrência”, disse.

Veja onde é mais barato abastecer em Fortaleza

Costa explicou que desde 1997, o preço não é tabelado, mas livre. “Em tese não haveria aumento, mas há outros fatores que podem fazer aumentar o preço do combustível”, completou explicando que a elevação do preço do etanol também impacta no valor da gasolina.

Gasolina e impostos

Desde o dia 25 de junho, a Petrobras reajustou os preços da gasolina e do óleo diesel comercializados para as refinarias. A gasolina teve um reajuste de 7,83%, sem impostos, enquanto foi de 3,94% para o óleo diesel.

Para neutralizar o aumento e não haver impacto para o consumidor, o governo decidiu reduzir a zero as alíquotas da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) incidente na comercialização dos combustíveis.

“Dessa forma, os preços, com impostos, cobrados das distribuidoras e pagos pelos consumidores não terão aumento”, informou a nota.

Também em nota, a Petrobras explicou o reajuste. “Esse reajuste foi definido levando em consideração a política de preços da Companhia, que busca alinhar o preço dos derivados aos valores praticados no mercado internacional em uma perspectiva de médio e longo prazo”.