Avaliação de Dilma bate recorde em relação ao 1º ano de governo

Avaliação de Dilma bate recorde em relação ao 1º ano de governo

A avaliação do governo Dilma Rousseff e a aprovação pessoal da presidente registraram recorde na série histórica da pesquisa CNI/Ibope para o primeiro ano de mandato superando os índices obtidos por Lula e Fernando Henrique Cardoso. A corrupção, porém, foi o assunto mais lembrado sobre a administração de Dilma e as áreas como saúde, educação e segurança registram desaprovação. Há também visão negativa à forma como o governo tem agido no combate à inflação. Foram ouvidos 2.002 eleitores em 142 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

 

Para 56% dos eleitores entrevistados o governo Dilma é ótimo ou bom, cinco pontos percentuais a mais do que o registrado em setembro. Outros 32% avaliam a administração como regular. Para 9% o governo é ruim e 3% não opinaram. Com este índice positivo, a presidente supera a marca de 51% registrada em 2007, quando o ex-presidente Lula encerrava o primeiro ano de seu segundo mandato. Em 2003, a avaliação do governo dele teve 41% de ótimo e bom. No caso de FHC, por sua vez, o melhor resultado foi em 1995, quando tinha 43% de avaliação positiva ao seu governo.


O desempenho recorde de Dilma se repete também na sua avaliação individual. Ela conta com 72% de aprovação na pesquisa contra 21% que a desaprovam e 7% que não opinaram. Dono das melhores avaliações anteriores em relação ao início de mandato, Lula tinha 66% em 2003 e 65% em 2007. FHC alcançou 57% em 1995 e tinha 26% em 1999. Apenas em relação à confiança pessoal a presidente não conseguiu superar seu padrinho político neste comparativo histórico. Em 2003 Lula teve 69% neste quesito enquanto Dilma agora registra 68%. Apesar dos recordes da presidente, porém, para 28% dos eleitores sua administração é pior do que a de Lula enquanto apenas 12% a julgam melhor que o antecessor.

 


Blindagem


Para o gerente-executivo de pesquisa da CNI, Renato da Fonseca, Dilma parece conseguir se afastar das seguidas acusações de corrupção contra o seu governo. “Dilma conseguiu se blindar. Ela conseguiu se distanciar e as denúncias ficaram restritas aos ministros.