Vereador é acusado de furtar banners de campanha do PSDB

Vereador é acusado de furtar banners de campanha do PSDB

O deputado estadual Fernando Hugo (PSDB) entrará com um processo no Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores contra Leonelzinho Alencar (PTdoB) por motivo de furto. Isso porque, segundo acusa o tucano, nas vésperas das últimas eleições, o vereador teria comandado o “roubo” de todos os chamados banners ambulantes de propaganda eleitoral do PSDB, que estavam espalhados pelo bairro de Messejana.


De acordo com o deputado, desde o ano passado, o paradeiro dos equipamentos era desconhecido pelo partido. Porém, somente agora, através de uma denúncia de um ex-funcionário de Leonelzinho e também de seu desafeto na Câmara, o vereador Francisco Alves (PRTB), as estruturas foram encontradas, na posse do vereador.


Segundo Fernando Hugo, na última segunda-feira, policiais estiveram em um galpão apontado pelos denunciantes, onde os equipamentos foram localizados.


No ato da vistoria, os equipamentos estariam equipados com aparelhos de som, acoplados em bicicletas e pintados com as cores do Fortaleza Esporte Clube, time o qual Leonelzinho é diretor de Futsal. Porém, o vereador teria afirmado ao delegado do 6º Distrito Policial de Messejana, Paulo César, que as estruturas eram de sua propriedade, e que comprovaria por notas fiscais.


Entretanto, no dia seguinte, Leonelzinho teria recuado, alegando que teria adquirido os equipamentos em um ferro-velho e, portanto, não teria a nota dos produtos.


Ontem à tarde, o advogado do vereador, Ítalo Liberato, “devolveu” 14 equipamentos no 6º Distrito Policial. “Isso é uma total confissão de culpa. Devolveu achando que iríamos recuar. Mas nós vamos em frente, queremos o restante do material. Vamos comunicar ao Conselho de Ética”, disse Fernando Hugo.


PSDB pedirá cassação

Segundo o deputado, se a conclusão do inquérito policial apontar crime de furto por parte do vereador, o PSDB pedirá a cassação de seu mandato. “Adotaremos procedimentos legais. Quero saber se tem condições de eles continuarem com um ladrão lá dentro”, acusou.



Na noite de ontem, O POVO tentou ouvir o vereador Leonelzinho. Em sua residência, o telefone dava sempre sinal de ocupado. Seu celular estava fora de área ou desligado. O contato de seu advogado não foi localizado. Já o delegado Paulo César tinha encerrado seu expediente e também estava com o celular desligado.